É péssimo passar por situações constrangedoras em qualquer lugar, sobretudo aqueles em que estamos grande parte do nosso dia, como o meio corporativo. Embora brincadeiras aconteçam, infelizmente, muitos casos passam do limite e caracterizam um problema grave: o assédio moral no trabalho. Qualquer tipo de assédio é horrível e viver isso sempre é insuportável, afetando aspectos psicológicos e físicos de diversas formas. Logo, é essencial dar um basta, entendendo e aprendendo a agir quando isso acontece, seja com você, com um amigo, familiar, colega, em todos os casos.  

Atualmente, muitas organizações e especialistas têm falado desse assunto, divulgando muitos materiais de apoio para cessá-lo. Um desses guias é o Curso Online Assédio Moral no Trabalho do Enfoque Capacitação, um dos cursos online mais populares do portal e que trata de todos os pontos desse grave problema social que prejudica várias pessoas.  

Neste artigo, abordaremos uma visão geral desse tema com base nos direitos trabalhistas para que você entenda antes de tomar uma atitude. Além de ajudar vítimas, conhecidos, gestores e administradores em geral, é ótimo para esclarecer muitos pontos e tornar qualquer espaço mais equilibrado, para que todos trabalhem em paz e possam realizar suas tarefas com harmonia. 

O que é assédio moral no trabalho? 

Embora pareça básico, muita gente tem dúvidas do que realmente caracteriza o assédio moral no ambiente de trabalho. As ações podem incluir tanto uma ou várias situações diferentes, com uma pessoa ou grupo, feitas por um chefe ou colegas. Há muito o que analisar antes de afirmar com clareza se há ou não um problema acontecendo.

Segundo um levantamento da Organização Internacional do Trabalho (OIT), divulgado pelo jornal Estadão, cerca de 42% dos trabalhadores já relataram ter sofrido assédio moral no trabalho, sendo as maiores vítimas mulheres, negros e homossexuais. Paralelo a isso, tramitam cerca de dois mil processos motivados por isso na Justiça do Trabalho, em que os agressores são chefes ou colegas de profissão. 

Muitos especialistas revelam que essa situação não tem nada de nova, ao contrário, é antiga e sempre esteve presente em muitas corporações. A questão é que, graças ao acesso direto e democrático à informação, muitas pessoas percebem e se sentem encorajadas a denunciar e acabar com esse problema. Nesse caso, fontes atualizadas e com dados completos ajudam bastante, como os cursos online com certificado que revelam manuais confiáveis e ações práticas.  

Sendo assim, entender o que é assédio moral é o primeiro passo para tomar atitudes efetivas. Essa análise vale para todas as pessoas que lidam com ambientes de trabalho distintos, sobretudo líderes, empreendedores e gestores de recursos humanos, grupo que precisa estar ligado sempre em tudo que permeia a empresa. Entenda alguns fatores que revelam o que é assédio moral

  • Intimidação, quando uma pessoa usa seu status para ameaçar e constranger outra, como dizer que o indivíduo pode ser demitido ou sofrer uma dura punição caso não realize uma tarefa/atividade pertinente ou não ao ambiente corporativo; 
  • Humilhação, seja pública ou individual, desmoralizando o trabalhador ou um grupo;
  • Bullying frequente junto a diversas pessoas, considerando uma característica psicológica, física, por dificuldade, deficiência, crença, orientação sexual, entre outras condições;
  • Usar poder de chefia para exigir a realização da mesma tarefa repetidas vezes, com o intuito de punir o funcionário por uma conduta ou qualquer outro motivo; 
  • O assédio moral no ambiente de trabalho também se caracteriza por ignorar a presença da pessoa, isolá-la de seus colegas e considerar problemas pessoais para puni-la de alguma forma;
  • A sobrecarga de tarefas, retirada de materiais básicos para execução das atividades, sonegação de informações e desvio da função original do funcionário também são vistas como assédio moral no trabalho;
  • Espalhar qualquer boato a respeito de alguma característica ou problema do indivíduo, seja no trabalho ou em cunho pessoal; 
  • Trocar de turno sem aviso prévio, pedir para que peça demissão devido a uma condição íntima ou de saúde ou dispensá-lo no período de gozo de férias, por telefone ou meios que não seja pessoalmente; 
  • Restringir o acesso a locais como refeitório, sanitários e ambientes de uso fundamental e necessário ao trabalhador; 
  • Dificultar o serviço de modo proposital ou culpar o indivíduo por algo que não lhe compete, bem como a exigência do cumprimento de tarefas urgentes sem que ele concorde/tenha conhecimento da atividade previamente;
  • Qualquer tipo de agressão física, psicológica, verbal ou sexual, sobretudo se for de modo contínuo e com ameaças de várias formas.  

Pois é, você deve estar surpreso com tantas situações que revelam o que é assédio moral e identificado muitos pontos que são constantes na empresa em que trabalha. Todavia, vale esclarecer: para que seja considerado assédio, o fato deve acontecer de modo prolongado ou de maneira repetida. 

Se tal caso aconteceu mais de uma vez, você já pode pensar em tomar as providências necessárias, pensando sobretudo em abrir um processo trabalhista. Essa abordagem do que a vítima pode (e deve fazer) está descrito com clareza e passo a passo no Curso Online Assédio Moral no Trabalho, uma ferramenta essencial para saber tudo sobre essa prática abusiva.  

Cursos a distância como esse são ótimos para que você se informe com um guia completo e esteja disposto a acabar com qualquer adversidade no ambiente de trabalho. Aproveite para fazer em casa e quando achar conveniente, já que os cursos EAD têm essa vantagem de especializar no tempo que mais se encaixa em suas atividades cotidianas.  

O que não é assédio moral no trabalho? 

Embora muita coisa qualifique o assédio moral no ambiente de trabalho, alguns fatores não têm relação com esse abuso. Por isso, é essencial analisar e checar o que pode ou não ser classificado assim. Segundo um estudo da Universidade Federal de Santa Catarina, não é assédio moral nesses casos:

  • Situações e comportamentos isolados. Se alguém te xingou ou agrediu durante uma discussão, esse fato não é considerado assédio, e sim dano moral que, obviamente, também deve ser punido.
  • Trabalhar em espaços pequenos e com instalações inadequadas. Se a empresa toda tem uma situação precária, não entra no caso que estamos tratando. Só é assédio moral quando uma pessoa ou grupo específico é/são obrigados a ficar em ambientes assim enquanto os demais gozam de condições melhores e confortáveis.
  • Conflitos gerais, que são comuns a toda empresa, sobretudo com base em discussões e opiniões contrárias. Embora não se enquadre, também é uma situação a se atentar. Administrar conflitos é fundamental para que não cresçam e tornem o convívio insuportável. Você pode aprender mais sobre isso no Curso Online Administrando Conflitos, um dos cursos online de excelência do Enfoque Capacitação.
  • Exigências profissionais que são inerentes à função. Entenda que, desde que esteja dentro da vaga em que você foi contratado, cobranças, avaliações e críticas construtivas sempre vão ocorrer, sejam feitas pelo chefe ou setor de recursos humanos. Nesse caso, o que vale é o modo explicativo, sem exposição e qualquer condição vexatória.

Entender as fases desse ciclo, quais são os direitos trabalhistas e as melhores estratégias a considerar é o primeiro passo para lidar com o assédio moral no trabalho em diversos níveis. Invista no conhecimento para compreender todos os aspectos dessa circunstância tanto de modo geral quanto específico. Os cursos online com certificado são indicados para esse objetivo, tornando o ambiente corporativo harmônico e aconchegante para todos.

Cursos relacionados que podem te interessar:

Assédio moral é crime? 

Segundo o Ministério do Trabalho e Emprego, situações de assédio moral no trabalho não são consideradas crime. Não existe uma lei que puna o agressor ou empresa nesse sentido, porém ambos podem ser denunciados perante à Justiça do Trabalho para que indenizem a vítima. Apenas o que se enquadra no contexto é o assédio sexual, segundo a Lei nº 10.224, de 15 de maio de 1991. 

Com várias campanhas que visam esclarecer e tirar as principais dúvidas sobre o assunto, como algumas que já foram realizadas pelo Ministério Público do Trabalho em São Paulo (MPT), muitos órgãos tentam alertar os trabalhadores para que denunciem essas condutas, seguindo um procedimento padrão: 

  • Reunir o máximo de provas possíveis, como documentos, vídeos, e-mails e testemunhas do fato. 
  • Entrar em contato com entidades de proteção ao trabalhador, como o Sindicato da categoria ou, em caso de recusa da empresa em chegar a um acordo, diretamente no Ministério Público, abrir processo na Justiça contra a corporação. 
  • Contatar um defensor público ou advogado especializado em Direito Trabalhista para que conduza o processo junto à Justiça do Trabalho e deixe o trabalhador mais seguro e amparado. 
  • Na maioria dos casos, quando se configura assédio moral, não há clima e nem condições de trabalhar ou continuar na empresa em questão, logo, o afastamento/dispensa é inevitável. Mas, segundo especialistas, não é recomendado pedir demissão, já que essa decisão faz com que o trabalhador perca parte de seus direitos, como aviso prévio e FGTS.  Isso só deve acontecer quando a situação estiver realmente incontrolável e impossível de lidar.

Caso o indivíduo ganhe o processo trabalhista, a corporação é obrigada a pagar uma indenização de acordo com o grau, extensão, tipo e demais características do assédio. Vale lembrar que isso pode acontecer tanto de modo individual quanto em um grupo de pessoas, que pode tomar a decisão do processo conjuntamente. Em todo caso, o diálogo e conversa com o chefe ou RH devem ser consideradas como maneiras preliminares para acabar com esse cenário, evitando assim problemas maiores (e a conhecida burocracia).

Muitos especialistas revelam que não há um padrão para saber a hora de denunciar, já que cada pessoa tem um limite. De qualquer forma, é inadmissível que essa situação acarrete em problemas de saúde, sobretudo psicológicos. A partir daí, é indicado se afastar do problema o mais rápido possível. Considerado uma questão de saúde pública que fere os direitos trabalhistas, o assédio moral nunca deve ser deixado de lado.  

Para entender mais sobre legislação, rescisão de contrato de trabalho e todos os parâmetros burocráticos desse sistema de modo integral, você pode investir nos cursos online com certificado para ficar por dentro desse e demais assuntos relacionados à Administração, Direito, Recursos Humanos, entre outras áreas. É fundamental se atualizar sempre e os cursos a distância são perfeitos para isso, ajudando a qualificar e lidar com diversas adversidades com conhecimento, ética e excelência.  


5 passos para lidar com o assédio moral no trabalho 

Com os cursos EAD, você vai compreender o que é assédio moral e, com a devida análise das situações, agir da melhor forma para promover o bem-estar e a paz no ambiente. Além disso, preparamos 5 passos gerais que podem ajudar. Eles valem sobretudo para os gestores, mas também podem ser seguidas por aqueles que se sentem vítimas ou que desejam saber mais sobre essa circunstância. 

Faça campanhas e atividades interativas

Aprender a lidar com as diferenças é primordial em qualquer espaço, ainda mais quando se trata de uma grande corporação. Por isso, campanhas sociais e atividades interativas ajudam a propor reflexões a respeito do bullying no trabalho e demais situações de assédio que afetam, em grande parte, minorias, como informado na pesquisa da Organização Internacional do Trabalho (OIT). É uma ótima ideia para o setor de Recursos Humanos e para os líderes de equipe, promovendo o respeito mútuo e ajudando as pessoas a tornarem-se mais tolerantes.  

Pense em uma gestão otimizada 

Falando em liderança, o papel de um ótimo empreendedor e gestor é se atentar a tudo que acontece em sua empresa/equipe, na percepção tanto de resultados quanto de problemas. Se há algo errado acontecendo, é impossível não desconfiar. Logo, vale a pena conversar com os funcionários e buscar ser sempre um parceiro em que possam confiar. Isso vale também para qualquer pessoa que constata que um colega de trabalho está passando por algum tipo de assédio moral.  

Promova o diálogo  

Diálogo é essencial tanto para entender o problema quanto para lidar com ele. O silêncio é péssimo e compactua com essas adversidades. Logo, é essencial ter a noção de que um espaço corporativo se faz com uma boa conversa entre todas as partes, acabando com rixas e evitando até uma situação extrema, como um processo trabalhista.

Aprenda a administrar conflitos 

Como já dissemos, conflitos fazem parte do cotidiano em uma empresa, independente do serviço. As pessoas têm opiniões distintas e nunca concordarão com tudo. O que não pode acontecer é deixar que um cenário ruim se expanda e tome rumos difíceis de controlar, exigindo condutas mais sérias. De qualquer forma, você pode aprender mais sobre isso no Curso Online Administrando Conflitos e em demais cursos EAD do Enfoque Capacitação ligados ao mercado de trabalho.

Informe-se e qualifique-se sempre 

Qualificação é essencial para aprender a agir em meio a tantos percalços. Independente se você é administrador ou não, estar bem informado garante tomada de decisões corretas e com muitos ganhos. Portanto, não deixe de investir em aprendizado. Além de materiais disponíveis nos órgãos de proteção ao trabalhador, muitos cursos online ajudam a certificar e te fazer um expert em várias áreas, garantindo o cumprimento de direitos e seus objetivos.  

Os certificados do Enfoque Capacitação podem ser usados para:


Prova de Títulos em Concursos Públicos

Horas complementares para faculdades

Complemento de horas para cursos técnicos

Progressão de carreira em empresas

Turbinar seu currículo

Revolucionar sua vida profissional e acadêmica

Lidar e acabar com o assédio moral é fundamental!

Assédio moral no trabalho é coisa séria e nunca deve se deixado de lado. Pensar em seu bem-estar e saúde é primordial, para que assim, consiga trabalhar em paz. E isso vale para toda a empresa também. Felizmente, hoje em dia muitos conceitos ajudam nessa meta e garantem um ambiente de trabalho equilibrado.  

O Curso Online Assédio Moral no Trabalho é o guia completo com todas as noções e manuais a respeito desse assunto, essencial para sua qualificação e compreensão. Melhor que aprender com essa opção, você pode fazer também uma diversidade de cursos a distância do Enfoque Capacitação, investindo um valor único que dura um ano, sem se preocupar com mensalidades. Há alternativas para os mais diversos setores. Vale a pena conhecer e se inscrever já! 

Chegamos ao fim do artigo e queremos saber suas impressões. Conte pra gente quais são suas opiniões e deixe suas dúvidas nos comentários. Até a próxima!